segunda-feira, 11 de março de 2013



PERDÃO E GRAÇA

Se o filho - parábola do filho pródigo - fosse nosso, como o receberíamos depois que tomasse um terço do nossos bens e gastasse com jogatinas, prostitutas, vida insana?


E como seríamos, sendo credores de um irresponsável devedor que, agora, deve muito mais que poderia pagar, mesmo que trabalhasse o resto da vida para isso?


Pagaríamos o salário de um dia de trabalho para alguém que só trabalhou uma hora? Ou, como aceitaríamos que a mesma paga fosse dada a tão pouco trabalho, frente ao nosso longo dia de doze horas?


A resposta a estas perguntas nos mostra, como em frente a um espelho, como lidamos com a questão do perdão e da graça...
Leia mais... CLIQUE AQUI

. 

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

2 Minutos - Errei!

Todos erramos. Seja pouco ou muito, discreta ou loucamente. Todos erramos.
Nisto, não somos, em nada, diferentes.
Ao errar, uns preocupam-se consigo mesmos, e os privilégios perdidos.
Outros, preocupam-se com o alvejado, com a dor da ferida provocada.
O foco que se dá define exatamente se somos humildes ou egocêntricos.
Precisamos conhecer a diferença entre uma e outra coisa.

"Bem-aventurados os humildes, pois herdarão a terra" (Mateus 5.5)

sábado, 15 de outubro de 2011

Lições da Morte

video



2 Minutos – Lições da Morte
(João 11)


A vida é uma dádiva. Devemos desfrutá-la.

A morte é uma das poucas certezas da vida. Devemos respeitá-la.

Amigos são uma riqueza. Devemos valorizá-los.

Familiares são uma preciosidade. Devemos honrá-los.

Um dia ficará só a saudade. Devemos dizer “eu te amo” antes disso.

Um abraço ou um ombro amigo é melhor que um milhão de palavras.

O sofrimento e a dor são os sentimentos que mais nos aproximam de Deus.

Não há consolo para a morte fora das promessas de Cristo.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

2 Minutos - Crianças

video



2 Minutos – Crianças
(Mateus 18: 3)


Crianças são espontâneas! Assim como a vida, acham um jeito... acreditam.

Crianças encantam e se encantam. Diferentemente dos adultos neste mundo pobre, tão planejado, cansativo, sem graça, sem alegria... elas apenas vivem.

Crianças vencem suas barreiras com simplicidade. Deixam as diferenças para trás para brincar, para correr, para sorrir... para ser feliz.

Delas é o Reino dos céus porque descansam. Deitam, esquecem de tudo, esquecem da vida, e adormecem nos braços dos pais.

Crianças têm a verdadeira fé. Uma criança dorme nos braços do pai, sem perguntar pelo ontem, pelo hoje e pelo amanhã... apenas porquê sabe que está no lugar certo, nos braços certos da pessoa certa, e que tudo é só uma questão de tempo.

Que Deus nos abençoe com esta infância eterna.